Alimentação na terceira idade do felino: fator fundamental para prevenção de doenças

Queridos leitores, antes de começar este post quero reforçar que sou publicitária e não veterinária!

Minhas modestas dicas são apenas de uma experiente “mãe de gatos”! Não hesite em levar seu bichano regularmente no veterinário e quando apresentar qualquer tipo de comportamento estranho!

Mas vamos lá, vou começar a contar “alguns segredinhos” da vida longa do “gatinho marrom”, Ricklou. Como sabem, ele ficou conosco por simplesmente 23 anos!
Claro que ele teve muito amor e carinho, que é fundamental para a vida e para a felicidade deles, mas precisamos ter também outros cuidados, principalmente na terceira idade do gatinho.

Quando o Ricklou tinha uns 16 anos achei melhor mudar seu cardápio, já que naquele momento eu estava cuidado de sua mamãe, a Lais, com 18 anos, que estava com insuficiência renal avançada. Vou falar um pouco mais sobre este triste tema em outro post, comentei aqui mais para entenderem o que realmente me motivou a mudar sua alimentação, pois queria realmente evitar ou retardar uma doença renal, típica em gatos idosos.

As principais mudanças foram as seguintes: 

1. Ração Renal
Primeiramente substituí a ração que eu dava na época pela ração Renal da Royal Canin. É claro que no início ele estranhou muito, pois ela não é tão saborosa quanto às rações convencionais. Porém, é questão de tempo para seu gatinho se acostumar e o ideal é que esta substituição aconteça logo no início da terceira idade, ou seja, por volta de 10/11 anos.
Esse tipo de ração terapêutica é mais caro, mas vale a pena, pois faz realmente muito bem para a saúde do seu gatinho idoso. Se ele não gostar de jeito nenhum da ração da Royal, experimente usar a renal da Hills, também muito recomendada por veterinários, por conta do sabor. Eles dizem que a Hills tem um paladar melhor, mas é ainda mais cara do que a Royal.

2. “Misturinha de sucesso”: Sachê da Royal Canin renal  + 01 lata de Atum light (como variação):
Sim, o Ricklou amava esta combinação e tenho certeza que seu gatinho vai adorar! Eu comprava os saches renais da Royal e já deixava misturado com uma lata de atum light (aquele em água, isso é muito importante!) em um pote fechado na geladeira. A mistura dava um sabor e tanto, além de fazer render o sachê pois, assim como a ração seca, os sachês especiais também são mais caros do que os convencionais.

3. “Comida caseira”: peito de frango ralado com azeite e sem sal:
Após muitos experimentos, descobri uma “fórmula mágica”, pois esta era a comida dos deuses para ele, rsrrsrsrs!
Comprávamos 01 bandeja de 400g de peito de frango e deixávamos na panela cozinhando normalmente sem sal e com um pouco de azeite. Depois de pronto, ralávamos o conteúdo da panela no mix e já deixávamos em um pote na geladeira. Como rendia bastante, eu acabava congelando metade para não estragar, pois costuma durar cerca de 4 dias na geladeira.
Juro! Quando o frango acabava e demorávamos mais do que 2 dias para fazer, parecia que ele tinha abstinência!!
Importante lembrar que a comida caseira deve ser combinada com a ração, que tem os nutrientes certos para seu gatinho também!

4. Água corrente:
Como todo catlover sabe, os gatos amam uma água em movimento!

E saibam também que, na terceira idade, eles tendem a beber mais água. Isso é um processo natural, já que os rins não são mais os mesmos.
Sabendo disso, sempre que saíamos, deixávamos a nossa pia do banheiro com água e uma bombinha de aquário para ele tomar. Acreditem! Ele só tomava água lá, não queria saber de nenhum outro potinho de água!

Claro que tratava-se de uma “gambiarra”, pois, infelizmente, o Ricklou, não se adaptou a nenhuma fonte própria para gatinhos, “coisa de senhorzinho cheio de manias”, rsrsrs!
Mas há inúmeros modelos de fontes e sugiro acostumar seu gatinho com uma desde cedo. Deixe ao lado da comida e tenho certeza que ele vai gostar muito mais do que aquela tigelinha de água parada!

5. Sachês convencionais (só de vez em quando por conta dos componentes da comida):
Como ninguém é de ferro e nem ele era, eventualmente dávamos sim um belo Whiskas sachê para ele se deliciar!

Foi bem cuidado esse gatinho né?
Como podem ver, não se trata de uma “fórmula mágica”, mas acredito muito que tomando algumas precauções conseguimos prolongar um pouco a vida de nossos gatinhos!
Não é à toa que meus amigos falam que na próxima encarnação gostariam de ser meu gato, rsrsrs!

Até a próxima pessoal!